GásLar, Lda

MarcaGalp_3D.png - 105.23 KB

FAQ's

O que é GPL?

O gás de petróleo liquefeito (GPL), é uma mistura de gases de hidrocarbonetos utilizado como combustível em aplicações de aquecimento. Na prática, pode-se dizer que o GPL é uma mistura dos gases propano e butano.


Quais os requisitos para a comercialização de GPL?

As empresas distribuidoras cuja finalidade é a venda de GPL têm como participantes na actividade os seguintes profissionais.

  • Técnico de Gás: São os responsáveis pelo acompanhamento e cumprimento da execução de obras e intervenções nas instalações.
  • Instaladores: São os responsáveis pela execução das instalações sob a orientação de um técnico de gás.
  • Mecânicos de Aparelhos: São os responsáveis com habilitações para proceder à montagem de aparelhos de queima e sua colocação em serviço.
  • Soldadores: São os responsáveis por todas as soldaduras nas instalações de gás eredes de distribuição.


Quais os tipos de credenciação para a comercialização de GPL?

A operação e actividade profissional (venda GPL) está sujeita ao reconhecimento legal conforme o tipo>de função desempenhado, estando definidas as seguintes atribuições:

  • Entidade exploradora classe II: Entidades autorizadas à exploração técnica e devido funcionamento das instalações, armazenagens e redes de distribuição, podendo ser ou não proprietárias das instalações. Entidade autorizada a explorar colectivas de gás canalizado com baterias de garrafas.
  • Entidade Distribuidora: Entidades autorizadas a comercializar GPL.
  • Entidades Instaladoras: Entidades autorizadas à execução, reparação e manutenção de instalações de gás e de redes de distribuição.
  • Entidades Montadoras: Entidades autorizadas à montagem e reparação de aparelhos a gás.


Quais os requisitos para a comercializaçao e montagem de paineis solares?

A instalação de equipamentos solares térmicos, está sujeita à obrigatoriedade de existir pelo menos 1 técnico instalador solar térmico certificado na empresa.

  • Técnico Instalador Solar Térmico: São responsáveis por programar, organizar, coordenar e executar a instalação, a manutenção e a reparação de sistemas solares térmicos, de acordo com as normas, regulamentos de segurança e regras de boa prática aplicáveis.


Recomendações importantes no caso de cheirar a gás ou detectar uma fuga de gás.

  • Fechar imediatamente a alimentação de gás.
  • Proceder ao arejamento do local.
  • Apagar e evitar chamas nas proximidades (fósforos, isqueiros, acendedores, cigarros, velas, etc.
  • Não ligar nem desligar aparelhagem eléctrica e de iluminação, nem utilizar o telefone ou telemóvel no local.
  • Desligar o quadro eléctrico somente se estiver fora do local onde cheirar a gás.
  • Tenha presente que as zonas mais perigosas, passiveis de provocar acidentes, localizam-se junto do ponto de fuga e próximo do solo, pois o GPL (butano e propano) são mais pesados que o ar.
  • Nunca pesquise uma fuga com chama. Utilize sempre espuma de sabão ou produto similar.
  • Sempre que detectar qualquer anomalia deve contactar os Serviços de Assistência Técnica, Emergência ou os


Recomendações de Segurança em utilização de gás em "Garrafa com Redutor acoplado" butano ou propano(só garrafas de 11 kg)

  • Nunca utilize, nem armazene, garrafas de gás em caves.
  • Não utilize, nem armazene garrafas de gás propano no interior da habitação.
  • Ao ligar o redutor à válvula da garrafa, assegure-se que ele ficou bem ajustado.Nunca utilize ferramentas para resolver eventuais dificuldades no manuseamento da válvula ou do redutor.
  • Defenda a válvula da garrafa de qualquer pancada ou outros maus tratos que possam afectar as suas condições de segurança.
  • Nunca deite ou inverta a garrafa.
  • Logo que termine cada utilização, deixe o redutor sempre fechado, mas não o retire da válvula da garrafa.
  • Nunca substitua a garrafa vazia por outra cheia na proximidade de chama ou qualquer fonte de ignição.
  • Contacte-nos sempre que suspeite de alguma deficiência na válvula da garrafa ou no funcionamento do seu redutor.


Recomendações de Segurança para utilização de aparelhos a gás butano/propano (GPL)

  • Ao adquirir, e antes de montar os aparelhos a gás, certifique-se de que foram aprovados e preparados para o gás a utilizar GPL (Butano/Propano).
  • Para proceder à montagem dos aparelhos a gás recorra sempre a uma Entidade Instaladora/Montadora de aparelhos de queima credenciada pela DGEG conforme legislação em vigor.
  • No caso de se usar aparelhos amovíveis (ex. fogão) a ligação de gás poderá ser feita em tubo de borracha flexível, se o aparelho for fixo (ex. esquentador, forno, placa, aparelhos de aquecimento de água e ambiente ) a ligação de gás deverá ser feita com ligações metálicas flexível, rígidas, blindadas ou em cobre .
  • O tubo flexível a utilizar na ligação deve ser próprio para GPL (butano/propano) e apresentar a respectiva marcação e prazo de validade.
  • O seu comprimento nunca deve ultrapassar os 1,5 m de comprimento.
  • Ao instalar o tubo flexíno porta borrachas do redutor e do aparelho a gás ajuste completamente o tubo. Utilize sempre abraçadeiras sem ranhuras e bem ajustadas em ambas as extremidades.
  • Nunca dobre o tubo de forma a estrangulá-lo em qualquer ponto da sua extensão.
  • Mantenha sempre o tubo afastado das fontes de calor, nunca o passando pela traseira dos fogões.
  • Vigie o tubo com frequência e substitua-o logo que verifique que a borracha está a ficar ressequida, apresentando fissuras ou um aspecto "encortiçado".
  • Cumpra rigorosamente o prazo de validade impresso no tubo flexível
  • Não permita a instalação de esquentadores no interior de quartos ou casas de banho.
  • Certifique-se de que o esquentador foi instalado de forma a assegurar uma tiragem correcta, com a conduta de evacuação dos produtos da combustão devidamente montada entre a saída do aparelho e o exterior da habitação ou a conduta da chaminé e pelo menos 30 cm de troço vertical e a curva nunca superior a 45 graus.
  • Certifique-se que o local da instalação do aparelho é bem ventilado.
  • Nunca retire ou mude de posição o sensor de evacuação dos produtos da combustão, sob pena de colocar em risco a sua saúde (intoxicação por monóxido de carbono -CO).
  • Para acender o esquentador certifique-se primeiro de que as torneiras de utilização de água quente se encontram fechadas (caso o esquentador não seja "inteligente").
  • É expressamente proibido a utilização de aparelhos de queima em caves ou em locais abaixo do nível do solo e pavimento circundante, junto a fossas, buracos ou esgotos.


Recomendações de Segurança em utilização de gás propano canalizado (em instalações particulares e edifícios colectivos)

  • A instalação de gás deve ser mantida em bom estado de conservação e ser inspeccionada periodicamente por uma Entidade Inspectora acreditada e credenciada. (obrigatório: instalações particulares inspecções de 5 em 5 anos, instalações em locais que recebam publico inspecções de 2 em 2 anos)
  • Qualquer execução; reparação; alteração; ampliação de uma instalação de gás só poderá ser efectuada por uma entidade credenciada (instaladora/montadora de aparelhos de queima pela DGEG).
  • Quaisquer válvulas ou ligações que se encontrem fora de serviço devem estar permanentemente fechadas e tamponadas.
  • É obrigatório uma válvula de corte de 1/4 de volta para cada aparelho a gás (embebidas na parede ou à vista)
  • É obrigatório uma válvula de corte de 1/4 de volta com acesso facilitado para corte geral da instalação de gás.


Recomendações de Segurança em utilização de gás canalizado propano (cabine Garrafas)

  • Uma instalação para utilização de garrafas de gás propano de 45 kg deverá conter 1 redutor de 1º andar de redução de 1.5 bar, 1 limitador de pressão de 1.75 bar e 1 redutor de 2º andar de redução de 37
  • Os tubos flexíveis (liras) utilizados na ligação das garrafas à instalação fixa devem ser apropriados para propano e para as condições de funcionamento da instalação: comprovável através da marcação na sua superfície. Devem ser respeitados os prazos de validade destes mesmos tubos.
  • A cabina onde estão instaladas as garrafas deve situar-se em local acessível, no exterior dos edifícios e nunca abaixo do nível do pavimento ou em circunstancias que possam facilitar a eventual acumulação de gás em compartimentos, canais, poços, esgotos ou outros pontos baixos nas proximidades.
  • A cabina deve possuir portas metálicas, com fecho e abertura para fora, de modo a proteger as garrafas e evitar a sua exposição directa ao sol e ser ventilada com aberturas permanentes ao nível superior e inferior, o mais próximo possível do nível do pavimento.
  • A cabina destina-se exclusivamente, ao alojamento das garrafas para abastecimento da instalação, não sendo permitida a existência de quaisquer matérias combustíveis ou outros materiais.
  • As garrafas devem permanecer sempre na posição vertical, com a válvula voltada para cima e de forma a não tombarem. As garrafas vazias devem ter as suas válvulas fechadas.
  • Na cabina de garrafas deverá estar presente a palavra "Gás" e o sinal de "proibido fumar e foguear".
  • Entidade Montadora Credencial nº 01003
  • Entidade Instaladora Credencial nº 01826
  • Entidade Exploradora Classe II
  • Certificado de Aptidão Profissional de Técnico Instalador de Sistemas Solares Térmicos nº 10/SOL/18393

Seguro Galpmb